O importante é a magia do ovo

Os ovos de Páscoa estão pela hora da morte, disse uma dona de casa em frente a uma exposição da guloseima pascal num mercado nesta semana. “O pior é que na semana que vem, o que não for vendido será colocado em oferta pela metade do preço”, arrematou ela, e com razão, por que é assim mesmo que funciona o mercado após as grandes campanhas de venda, não só de Páscoa, mas de Natal, Dias das Mães e outras, consideradas “safras” de vendas.

Um outro detalhe interessante é que o preço da barra de chocolate chega a ser até quatro vezes mais barato que o ovo confeccionado. As fábricas alegam que a diferença se deve à confecção, embalagem, transporte especial e o armazenamento.

A Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados) explica que a fabricação de ovos de chocolate passa “por processo complexo e trabalhoso, que acarreta maiores custos de produção. Além disso, durante o período de produção, que pode durar até seis meses, são contratados funcionários extras para reforçar as equipes”. Pode ser, mas ainda assim é muita diferença.

Também não dá para entender como o mesmo produto vendido no Brasil é mais barato em outros países, como os exportados para o Japão, onde uma marca famosa de ovo de Páscoa fabricada aqui é vendida por R$ 25 reais, enquanto o mesmo produto, de mesmo peso é oferecido nos nossos estabelecimentos a R$ 49,90. É uma diferença gritante que não se explica por razões normais. Em média, ovos de chocolate são vendidos aqui com preços 50% a mais que na Ásia, Europa ou América do Norte.

Na verdade, o preço que se paga não é só pelo chocolate em si, mas por toda a magia que envolve a data, onde a tradição leva ao mundo do colorido dos papéis que envolvem os ovos achocolatados, independente da qualidade de cada produto. Depois que passa o domingo de Páscoa, tem-se a impressão que o gosto do chocolate não é mais o mesmo. Quem sabe, seja por isso que os ovos que não foram vendidos vão para o atacado de ofertas a qualquer preço, pois, caso contrário terão o lixo como destino, salvo os que passam por mãos de boas almas que fazem doações a entidades beneficentes. Ainda bem.

O importante é a magia do ovo, porém, com ou sem ele, feliz Páscoa a todos!