Psicologia Pastoral : Quando a pressa se transforma em ansiedade: perigo!

As pessoas quase não param, estão sempre correndo, poucas são as que ainda dispõe dessa qualidade de dar atenção as outras, mesmo vizinhos, residindo ao lado, não têm tempo para o que a convivência em grupo solicita. Será isso pressa, ansiedade?
Veja como essas frases, que ouvimos diariamente, têm tudo a ver com este afastamento das pessoas:
Ando tão apressado.
Não tenho tempo pra mais nada!
Mesmo em casa é aquele corre-corre!
Vizinhos? faz dias que não os vejo!
A pressa em fazer isso ou aquilo me domina, estou sempre atrasado!
Estou com muito trabalho!
Penso que algumas pessoas hoje têm dificuldade de viver, e de gozar do bem-estar que vida deve lhe proporcionar. E assim, vive parte da sociedade, um subsistir continuamente agitado, onde mesmo os mais ponderados, com expressão de calmaria, já vivem esse drama.
Deixo um alerta! Uma analise pessoal é preciso, pois este hábito é uma porta aberta para uma vida ansiosa. A ansiedade pode trazer consigo outras séries de sintomas, apesar de ser uma reação normal do organismo, é preciso investigá-la quando tida com frequência. Aprender controlá-la em qualquer período é considerável e relevante.
Uma prova importante para fazer, uma entrevista de emprego, problemas financeiros, trabalho, contrariedades conjugais e familiares. Tudo isso e muitas outras situações, se não forem bem administradas podem colaborar para o desenvolvimento da ansiedade, um distúrbio que pode se manifestar em diversas fazes da vida. No entanto é preciso saber identificar a partir de que ponto, a sensação deixa de ser um sentimento normal, e passa a afetar diretamente a rotina, fator que prejudica muito a qualidade de vida das pessoas.
Até certo grau, a ansiedade é considerada normal. Nas crianças, por exemplo, tende a ser passageiro. Agora na vida adulta ou quase adulta, incluindo adolescentes e jovens, quando uma fase difícil na vida é enfrentada, como consequência essa sensação pode se instalar de forma fixa e contínua. Nesse momento o distúrbio precisa ser identificado e tratado.
A ansiedade surge em situações de grandes expectativas e envolve um estado de excitabilidade fisiológica, ancorada em uma configuração corporal de tensões musculares e sentimentos de apreensão. Enquanto muitos de nós viveram isso como fase, outros convivem diariamente. Há um outro grupo que vive esse dilema como um sintoma crônico, já instalado.
Como já mencionado acima, os quadros ansiosos são reações naturais do organismo, que podem se manifestar diante das mais diversas situações. Ela passa a ser uma doença psíquica, quando os episódios ansiosos ocorrem muitas vezes sem uma motivação aparente, com maior intensidade e duração e passa a interferir no dia a dia do paciente. Não parece, mas é um dos principais problemas de saúde mental do povo brasileiro.
Sintomas característicos quando apresentados com frequência: agitação, medo ou preocupação exagerada, dores e contrações musculares, mudanças repentinas na temperatura do corpo, dificuldades de locomoção ou excesso de energia, palpitações, suor excessivo e outros, são na verdade indícios que a ansiedade já está instalada. Eu posso ajudar você!
Roberto Cosme dos Santos é Sociólogo, formado em Teologia com Especialização em Psicologia Pastoral.
contatorobertosantos@outlook.com