ACREDITE SE QUISER

Marcel mostra sua força

Apesar dos tropeços que a política proporciona, o deputado e hoje secretário de estado, Marcel Micheletto mostrou que ainda conta com apoio popular e deve ser respeitado. A influência do Marcel foi determinante e reconhecida ao vencer uma duríssima campanha eleitoral contra seu antigo aliado, Pegoraro. Ao apoiar o candidato Valtinho, que também goza de um carinho muito grande pela sua passagem na direção do Hospital Beneficente Moacir Micheletto, sua força foi mais uma vez constatada.

O que a população espera é que esse desentendimento seja uma nuvem passageira e que em pouco tempo, grande parte dessa tempestade seja coisa do passado para o bem do nosso município. Nossos parabéns ao prefeito eleito Valtinho e seu vice Cloves pela conquista, e parabéns ao Marcel, pelo potencial político, mais uma vez demostrado por sua liderança.

Roda gigante

A política é uma roda gigante que gira sem parar. Para os que sobem, sorrisos; para os que descem, lágrimas. Essa é a vida daqueles que optaram por ser candidato ou são funcionários públicos não concursados. A cada dois anos são obrigados a passar por essas situações de incertezas, quando vem a pergunta: será que fico ou saio? Muitas vezes, se submetem a situações difíceis de apoiar quem não deseja para salvar o emprego. Os que entram compram sapatos novos para a posse, os que saem precisam adiar suas férias e limpar as gavetas para entregar a alguém, que talvez nem competência possui para assumir seu posto. Situação constrangedora. Será que vale a pena passar por isso? Acredito que não.

O que dizem as urnas

Com uma renovação expressiva, a Câmara de Vereadores de Assis Chateaubriand terá oito novos vereadores. Para os iniciantes alguns detalhes devem ser observados: estejam certos de que “assistencialismo” não garante reeleição para sempre. Já tivemos casos assim no passado, quando Jose Kulkamp, que apesar de dedicar seu mandato ao assistencialismo, perdeu a eleição. Agora se comprova de vez o nosso raciocínio. Nunca houve tantos candidatos a vereador fazendo assistencialismo como agora, e o resultado não foi bom para três deles que não se reelegeram: Luiz do Posto, Pixutinho e Regina. Outro alerta fica para o vereador Chiquinho, que teve uma queda em sua votação em comparação a eleição anterior. Isso mostra que a população quer ser atendida sim, mas também que os vereadores cumpram seu papel que é fiscalizar o executivo e o dinheiro público.

Fatos inéditos

Essa coluna parabeniza os vereadores eleitos e deseja sorte em seus mandatos. Mas é importante destacar também alguns fatos inéditos que ocorreram. No meio de uma pandemia e com uma eleição acirrada, tivemos a votação expressiva de Franciane Micheletto, atingindo a maior votação da história da legislatura em Assis, foram 2.453 votos. Matheus Marques, com apenas 24 anos, se tornou o vereador mais novo ao assumir uma cadeira na Câmara. As mulheres também mostraram força e de forma inédita conquistaram 4 cadeiras. E o que chamou atenção também foram os votos nulos, brancos e abstenções com quase 30% em nosso município.

 

Para refletir

Se você apagasse todos os erros do seu passado, você apagaria toda a sabedoria do seu presente.