Alessandro “Diz Sim” a Duílio Monteiro e está de volta ao Corinthians

Alessandro Nunes vai assumir a gerência do departamento de futebol do Corinthians a partir de janeiro de 2021.

Gazeta Esportiva apurou que o ex-lateral aceitou o convite feito por Duílio Monteiro Alves, presidente recém-eleito e que será empossado em 4 de janeiro.

Longe dos holofotes, como sempre preferiu, Alessandro tem mantido contato com pessoas que vão participar da próxima gestão corintiana com o intuito de otimizar o período de transição.

Neste sentido, o fato de já conhecer tanto o clube como o próprio Duílio são fatores que ajudam a eliminar etapas mais rapidamente.

Contar com Alessandro era uma intenção de Duílio ainda em época de campanha eleitoral. Após a vitória no pleito, o sucessor de Andrés Sanchez fez o contato, oficializou a proposta e aguardou alguns dias para que o capitão da Libertadores e do Mundial de 2012 pudesse avaliar e tomar uma decisão.

A resposta positiva chegou e trouxe alívio ao Parque São Jorge, isso porque Alessandro era um nome de consenso até entre as lideranças da oposição.

Por ora, Alessandro será preservado. Ele  continua residindo em Assis Chateaubriand, O plano é confirmar o acordo apenas em 4 de janeiro, quando Duílio deve anunciar os escolhidos para comandar diversas funções no clube.

Vilson Menezes seguirá ocupando o cargo de gerente de futebol até o dia 27, quando o Corinthians fará o último jogo do ano, contra o Botafogo, no Rio de Janeiro. Jorge Kalil e Eduardo Ferreira, diretores-adjuntos, também vão se despedir no próximo domingo.

HISTÓRICO DE ALESSANDRO
Alessandro se tornou dirigente logo após se aposentar da carreira de atleta e foi coordenador de futebol do Corinthians entre 2014 e 2016. Depois, assumiu a gerência, cargo que ocupou de 2016 a 2019. Neste período, o time conquistou dois títulos do Campeonato Brasileiro (2015 e 2017) e outros dois Paulistas (2017 e 2018).

O início de 2020, Alessandro deixou o clube e o ex-zagueiro Vilson Menezes assumiu o posto.

Com 40 anos, Alessandro resolveu estudar, fazer cursos de gestão na CBF e recusou até uma proposta do Flamengo.

Como jogador, o ex-lateral direito disputou 258 jogos pelo Timão, marcou quatro gols e foi campeão oito vezes: Série B (2008), Paulistão (2009 e 2013), Copa do Brasil (2009), Brasileirão (2011), Libertadores (2012), Mundial (2012) e Recopa (2013).

Gazeta esportiva