Defesa de Lula consegue a primeira vitória

Preso desde abril do ano passado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva puxa cana em Curitiba por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro do tríplex do Guarujá.

De lá pra cá, foram muitos os recursos da defesa para soltar Lula e as consequentes negativas da Justiça em atender aos pedidos.

Só neste ano, já existe um rosário de ações em torno dessa prisão. Acompanhe a lista, publicada ontem pelo O Globo e UOL:

Fevereiro – Lula é condenado em primeira instância pela juíza Gabriela Hardt a 12 anos e 11 anos no processo do sítio de Atibaia, por corrupção e lavagem de dinheiro.

Edson Fachin, do STF, nega seguimento ao HC de Lula contra decisão do ministro Félix Fischer do STJ no caso do tríplex.

Abril – Ministros da Quinta Turma do STJ mantém condenação do ex-presidente, mas diminuem a pena para 8 anos e 10 meses.

Relator do caso no STJ, ministro Felix Fischer, rejeitou pedido da defesa de que o caso do tríplex seja encaminhado para a Justiça Eleitoral.

Julho – A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal Criminal de Curitiba, determinou a transferência de Lula para São Paulo, com a possibilidade de que ele seja alocado em uma cela coletiva e não em uma Sala de Estado Maior.

Agosto – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorre contra a decisão de transferir o petista de Curitiba para São Paulo. Por 10 votos a 1, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendem a transferência para o presídio de Tremembé.

A defesa de Lula e o PT se opõem à transferência apontando riscos para a segurança pessoal do ex-presidente em São Paulo. É a primeira vitória da defesa de Lula desde que ele foi preso.

O UOL relata assim o que o PT chama de vitória: a suspensão da transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da carceragem da PF (Polícia Federal) de Curitiba para o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, virou motivo de celebração para os militantes que o apoiam no Paraná. Embora os simpatizantes do petista vejam a vitória dele no STF (Supremo Tribunal Federal) como pequena, ela é a primeira obtida por sua defesa desde que Lula foi preso, em abril de 2018.