Educação com propósito

Todos dizem que a base familiar é tudo na vida de uma pessoa, na formação de seu caráter, personalidade e instrução vocacional, pois nossa vocação também depende muito dessa base em família. Mas para alguns isso são coisas do passado, pois a liberdade de escolha, e que direção tomar, tem sido a proposta de muitos pais neste século, nessa família moderna em analogia aos filhos, quando eles msmos devem escolher que direção tomar quando crescerem.

O começo de um novo ano é marcado também pelo início do ano letivo, o retorno às aulas. Enquando a maioria das crianças estão seguindo o curso normal, outras estão indo à escola pela primeira vez. O ensino  fundamnental é a base que contribui, em muito, na formção dessa criança, que será adulta mais tarde, contudo, o alicerce deve vir de casa, pois a solidez de uma pessoa tem seus fundamnentos firmados neste pedestal, que é a família.

É bem verdade que não são todos os pais que tem a noção desta atribuição. Eles não tem maturidade, ou não querem assumir que a educução com propósito começa em casa, e assim deixam seus filhos em total “liberdade”. Infelizmente, assim tem sido a proposta de muitos, “resposáveis” pela formação do caráter e consequentemente na boa conduta desses pequeninos.

Essa atitude soa como uma proposta dessa geração de pais, ou dessa nova geração de famílias que vem se despontando, impulcionadas pela grande mídia quando propõe: um nova forma de ser, uma nova forma de viver, uma nova forma de amar, nos incutindo a ideia de que mudança é sinônimo de evolução, necessariamente.

Neste cenário, até parece que praticar educação com propósito para uma vida com responsabilidades é coisa antiga, totalmente ultrapassada e mediocre. A geração passada deve-se lembrar que os pais educavam os filhos com determinação, escopo, bom-senso, mira, dando a eles a direção que deveriam seguir para vida toda, como ensina o sábio Salomão: “Ensine a criança o caminho que deve andar, para este quando fôr adulto não se desvie dele” isto é: Primeiro responsabilidade, depois respeito, inicitiva própria (ser proativo), honestidade. Essa educação com propósito começava em casa, onde os filhos tinham regras à cumprir no seio familiar, desde a tenra idade, e, assim seguia na escola, onde também não havia muito espaço para questionamentos meramente protelatórios.

O que vemos hoje, são crianças cada vez mais livres e com a síndrome do VP, ou seja, vontade própria, personalidade formada e caráter zero. Pais que não sabem o porquê; professores extremamente estressados na sala de aula em meio a alunos mal educados, quando não violentos. Muito disso porque essas crianças não receberam a edução que deveriam trazer de casa. Esta base não existe porque nunca foi construída. Não é demais constatar esta realidade presente em muitas famílias “modernas”.

Tenho a convicção qeu este nunca foi o desejo do Deus criador para os pais e muito menos para filhos.  “Honra teu pai e tua mãe” – este é o primeiro mandamento com promessa – “para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”. Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor.

A escola é fundamental, mas o centro de apoio a calunsa está na família, aí  sim, em tudo ou em quase tudo, esses pequeninos crescerão com sucesso.

 

Roberto Cosme dos Santos é sociólogo e teólogo

com especialização em Psicologia Pastoral.

contatorobertosantos@outlook.com