Gestão Pública aplicada pela Itaipu e PTI nos municípios

DESTAQUE PARA BRASILÂNDIA DO SUL.

A Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) estão trabalhando de forma integrada no fortalecimento da gestão pública nos municípios da região oeste do Estado. O objetivo é melhorar o desenvolvimento dos projetos das prefeituras, desde a elaboração e planejamento, passando pela execução, monitoramento e encerramento dos mesmos. Entre os Municípios está Brasilândia do Sul. O Município conta com diversas ações que estão sendo realizadas em parceria com a ITAIPU e PTI.

Há um ano, uma das linhas de atuação tem sido o desenvolvimento da gestão dos resíduos recicláveis, por meio da realização de estudos técnicos nos municípios. O Plano Operacional das Unidades de Valorização de Recicláveis – UVR, umas das principais ferramentas elaboradas, contempla um diagnóstico da reciclagem, onde as informações obtidas são cruzadas, a fim de se analisar a viabilidade de empreendimentos de reciclagem, considerando a capacidade operacional dos catadores e equipamentos e o potencial de geração de resíduos recicláveis no município, para definição de cenários e metas pactuadas.

Desta forma, os municípios terão condições de trabalhar a gestão de resíduos recicláveis, somados à investimentos em infraestrutura e equipamentos provenientes de parcerias com a Itaipu Binacional e outras instituições. Com tais recursos, financeiros e técnicos, a região Oeste do Paraná vem reformulando os antigos barracões em Unidades de Valorização de Recicláveis-UVR.

O projeto ainda prevê capacitação aos técnicos municipais que trabalham nas UVR e tem como meta melhorar as condições de trabalho e renda dos catadores, por meio da reciclagem. Nesse período em que o projeto está sendo realizado pela Itaipu e pelo PTI, 30 municípios, dos 55 da região, receberam Planos Operacionais desenvolvidos pelo Parque Tecnológico.

Além do trabalho realizado com as cooperativas de recicláveis, as equipes técnicas do PTI e da Itaipu oferecem às prefeituras suporte nos projetos de infraestrutura para construção e reforma das Unidades de Valorização. Até agora, 65 projetos de vários municípios receberam esse apoio.

Para o engenheiro do projeto, que apoiou o desenvolvimento da UVR modelo de Santa Terezinha de Itaipu (PR), Paulo Henrique Squinzani, esse é um projeto de grande relevância.

“Este trabalho possibilita que as UVR tenham condições de desenvolver atividades de forma remunerada, melhorando a eficiência da reciclagem e otimização de investimentos públicos, principalmente a condição de trabalho e renda dos catadores”, avalia.

O diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, entende que saneamento ambiental é prioridade estratégica para o país e defende que o custo investido em saneamento, “seja água, esgoto, resíduos/reciclagem e drenagem, são investimentos bem aplicáveis. Este é um projeto de referência na reestruturação da reciclagem, com inclusão social e produtiva das associações e cooperativas”.