Índice de Infestação por Aedes aegypti chega a 3,2% em Cafelândia

O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) realizado em Cafelândia neste ano preocupa. O índice apontou 3,2 % de infestação e comprova o crescimento em relação ao último levantamento realizado em novembro de 2018, em que o índice era de 1,3%.

De acordo com o Ministério da Saúde, este percentual de 3,2 % coloca a cidade em médio risco de epidemia (acima de 4% seria alto risco). “Estamos fazendo o possível para que não ocorra uma epidemia em Cafelândia. Precisamos alertar a população sobre o risco que isso pode trazer. Vamos ajudar limpando os lotes e verificando os recipientes com água. Temos que acabar com os criadouros para evitar a proliferação do mosquito”, fala o coordenador de endemias, Anderson Almeida.

Como estamos no período de muita chuva e calor, o aumento dos mosquitos é constante. Por conta disso, a Secretaria de Saúde em parceria com as secretarias de Administração e Viação e Obras, estão promovendo ações para o combate ao aedes como o arrastão de limpeza e a contratação de agentes de combate a endemias através do concurso público que será realizado neste ano.

Os agentes alertam que o número de criadouros em Cafelândia é grande e que em apenas 10 minutos semanais é o suficiente para que você verifique criadouros em seu pátio e contribua com as ações de combate ao aedes.

Até o momento, os municípios com maior número de casos confirmados são: Uraí (37), Foz do Iguaçu (23) e Paranavaí (17).

Assessoria