MINUTO ZERO, TEMPO E VIDA

Vocé está sendo o que realmente nasceu pra ser, ou está sendo o que dá pra ser? É uma pergunta incomum e que mereçe refexão.

O ser humano quando nasce é uma criatura pura em todo seu aspecto. A maioria nasce com uma beleza incomparável, e para seus pais, tudo é perfeito e belo.

Mas o tempo vai passando, e com a vida as mudanças vão acontecendo. Na mente da maioria dos pais, nesse primeiro momento, não há nenhuma preocupação ou interesse quanto ao que essa criança vai ser quando crescer. E assim, o mundo cuida de ensinar uma porção de coisas, algumas boas, outras ruíns. Mas para os pais, o que importa mesmo é ver o crescimento dessa nova vida.

Ser o que dá pra ser tem sido opção para muitos. Eles só percebem que o tempo passou e pouco foi feito, quando adultos. Só nesta fase eles começam a ver a necessidade de ter aprendido observar o tempo, desde o minuto zero da vida, até às suas mais otimitas projeções. O “time” da vida é como um relógio que não tem como voltar atrás.

Há um texto bíblico que nos adverte, como pais, quando diz: “Ensine a criança em que  caminho deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele”. Poucos pais conhecem este ensinamento, mas mesmo os que conhecem têm dificuldade em ajudar os filhos a pensar no futuro.

O minuto zero pode representar um novo começo na vida, onde as mudanças vão ser melhor observadas, onde o tempo passa a ser mais precioso, onde a atenção às coisas boas passam a ser mais valorizadas. Para isso não importa a idade.

A vida é incrível, extraordinária e maravilhosa, e, a moeda mais preciosa do mundo não é o dinheiro, mas o tempo, por isso dizer: “tempo é dinheiro”. Portanto, cada minuto vivido deve ser observado com todo cuidado para que os planos futuros possam ser se tornar reais. Saiba que sua vida funcionará como um relógio que um dia vai parar. Por isso, saiba que esse período é precioso, não só para aprender, mas como também para ensinar.

O século atual, com toda essa tecnologia, trás informações e novidades diárias, contuo, muitas delas roubam nosso tempo. A observação feita pelo texto, leva-nos a pararmos um pouco para uma reflexão pessoal em relação ao tempo que se perde com coisas inúteis e supérfulas, coisas que nos fazem esquecer de viver o tempo que a vida proporciona.

Tudo isso é real, e ser o que dá pra ser hoje, é uma realidade que se faz presente na vida de muita gente.

 

Roberto Cosme dos Santos é sociólogo e teólogo

com especialização em psicologia pastoral.

Atende pessoas como sintomas psicoemocinais.

contatorobertosantos@outlook.com