O perdão do pai

Uma linda parábola de Jesus fala exatamente sobre o perdão do pai ao filho. Como explicar as atitudes rebeldes dos filhos que mesmo tendo pais ainda vivos exigem a herança. Mas ainda vemos coisas mais graves, filho espancado pai porque negou dinheiro para comprar drogas. Vejam que mesmo assim, a maioria dos pais perdoam os filhos. Jesus com sua esplêndida sabedoria já sabia que tudo isso aconteceria nos seres humanos, e hoje constatamos essa realidade que nos entristece muito, ver nossa juventude desvirtuada longe das igrejas e perto do crime.
A maior safra da história
Se o tempo colaborar, nossa região terá a maior safra de milho da nossa história. Estamos vivenciando um espetáculo no campo, o milharal que enche os olhos de todos. Depois que os agricultores passaram por momentos difíceis e preocupados com quebra da safra de soja, Deus de imediato está sendo generoso e com um presente que enche os corações dos colonos de alegria. Obrigado Senhor, por nos proporcionar condições de colocar alimentos na mesa.
Agricultores agitam o mercado
Com a promessa de boa safra o comércio em geral se prepara para atender a demanda. As cooperativas e recebedoras de grãos, oficinas mecânicas, borracharias, restaurantes, postos de combustíveis e também a Polícia Rodoviária que terá um papel importante para ajudar evitar possíveis acidentes.
Sofrer antecipadamente é bobagem
Às pessoas na sua maioria sofrem antecipadamente por conjecturas que vêm à mente. Isso não passa de uma bobagem sem motivos. Ficar pensando na velhice, num possível acidente, nas doenças, numa possível traição do companheiro (a), é totalmente inútil. Sofrer por algo que provavelmente não irá acontecer é perda de tempo. Se tiver que acontecer? Vai acontecer da mesma forma, assim não sofra antecipado, porque você vai sofrer duas vezes, antes e depois.
Silveirópolis continua recebendo novas casas
Numa passagem rápida por Silveirópolis não pude deixar de visitar nosso amigo Benedito Calovi (Ditão) comerciante a muitos anos naquele patrimônio. Ao ver novas construções de residências, lembramos também que tínhamos razão, quando na tribuna da Câmara disse que: “as comunidades dos ramais iriam desaparecer e os patrimônios sobreviveriam por opção dos próprios agricultores”. Não sou vidente, mas tinha visão disso, embora muito questionado pelos demais vereadores que não concordavam com nossa opinião. A realidade de hoje mostra a prova, todos os patrimônios crescem enquanto que as comunidades rurais desaparecem.