Paraná e Paraguai discutem infraestrutura e agronegócio

Os investimentos e os projetos do Paraná, principalmente em infraestrutura, e os reflexos no agronegócio, foram assuntos da reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com a ministra de Indústria e Comércio do Paraguai, Liz Cramer; o governador da Província de Misiones, Carlos Arrechea Ortíz; o cônsul-geral do Paraguai no Brasil, Carlos José Fleitas Rodriguez, e empresários. O governador recebeu a comitiva no Palácio Iguaçu, nesta quinta-feira (14).  O chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o superintendente de governança, Phelipe Mansur, participaram do encontro.

Ratinho Junior apresentou o projeto do corredor bioceânico, ligação entre os oceanos Atlântico e Pacífico, que conectará o Porto de Paranaguá ao de Antofagasta, no Chile, passando por Paraguai e Argentina. “É um projeto audacioso, que trará uma economia de 30 a 40% do frete na exportação para a Ásia”, destacou Ratinho Junior.

A proposta já foi apresentada ao presidente Jair Bolsonaro e à diretoria da Itaipu Binacional, que poderá financiar o projeto executivo. A ideia é fazer uma concessão de 50 anos. “Vejo o setor produtivo do Brasil querendo que este projeto saia do papel”, afirmou o governador.

“O Paraná tem uma agenda muito ativa em infraestrutura, o que para nós é extremamente conveniente, já começando pelo Porto de Paranaguá”, disse a ministra Liz Cramer. “O governo do Paraguai está muito interessado em ser cada vez mais parceiro deste Estado”, afirmou. “A integração é sinônimo de desenvolvimento”, frisou o governador da província de Misiones, Carlos Arrechea Ortíz.

A ministra convidou Ratinho Junior para se reunir com o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, em Assunção, para avançar nesta aproximação. “A agenda Paraguai e Paraná é muito mais produtiva que com o Brasil em geral”, disse a ministra

PROJETOS – Ratinho Junior disse que o Porto de Paranaguá tem meio milhão de reais em caixa para investimentos em modernização para os próximos anos. Além disso, citou que existem projetos de mais três portos privados no Estado, que podem atender ao escoamento da produção paraguaia. “Em março vamos lançar um pacote de projetos executivos de infraestrutura”, explicou.

No encontro, o fundador do Parque Tecnológico de Agroinovação Industrial, nos Campos Gerais, José Sebastião Fagundes Cunha, falou sobre a criação de polo de produção de genética animal de ponta, em Misiones, que envolve criadores paraguaios e paranaenses.