Paraná reduz despesas administrativas em 30,4% durante a pandemia

Com o teletrabalho e as restrições de circulação, houve queda nos gastos com serviços de água, esgoto, luz, telefonia, abastecimento da frota oficial e com viagens de servidores. Economia compensará o aumento de despesas em outros setores.

O Governo do Estado reduziu as despesas administrativas em 30,4% de abril a junho deste ano. Com o teletrabalho e as restrições de circulação, houve queda nas despesas com serviços de água, esgoto, luz, telefonia, abastecimento da frota oficial e com viagens de servidores.

De acordo com levantamento feito pelas secretarias da Fazenda e da Administração, no segundo trimestre do ano passado as despesas administrativas do Estado somaram R$ 121,95 milhões. No mesmo período deste ano o montante foi de R$ 84,87 milhões.

A queda mais significativa ocorreu nas despesas de viagens e pagamentos de diárias. De abril a junho, o Paraná gastou R$ 4,4 milhões com este tipo de despesas, ante R$ 12,15 milhões no mesmo período 2019 – uma baixa de 62%.

Para o secretário estadual da Fazenda, Renê Garcia Júnior, a queda nas despesas administrativas é importante para que o Estado tente equalizar os gastos extras com a pandemia. “Tivemos uma série de gastos que cresceram nestes meses de pandemia, além de termos observado queda na arrecadação de tributos. A economia gerada pelo teletrabalho é benéfica porque permite que ajustemos melhor as finanças do Estado”, afirma.

RANKING – A segunda maior diminuição observada nas despesas correntes entre abril e junho foi com serviços de comunicação em geral, que incluem gastos com correios e telégrafos, publicação de editais, extratos, convocações e assemelhados, desde que não tenham caráter de propaganda e afins. De abril a junho de 2020 os gastos contabilizaram R$ 11,6 milhões. No mesmo período do ano passado foram R$ 20,4 milhões nos mesmos três meses, o que significa queda de 42,9%.

O levantamento mostra ainda redução de 10,85% com serviços de água e esgoto, de 20,65% com serviços de cópias e reprodução de documentos e de 27% com serviços de energia elétrica.

O abastecimento da frota oficial também foi menor no segundo trimestre com a diminuição dos deslocamentos de servidores. De abril a junho, o Paraná gastou R$15,24 milhões com o serviço, valor 33,2% menor que no mesmo período de 2019.