Poesia

“Chegará um momento em que o sol não brilhará, o vento não agitará a copa das árvores e nada parecerá ter sentido.

Chegará um momento em que nós nos perguntaremos:

Mas valeu mesmo?

Chegará um momento em que sentiremos vontade de sentar… e talvez assim, exaustos, olharemos para traz e só dessa forma é que enxergaremos o quão forte nós fomos, e somos, mesmo em meio à tantas pedras no caminho.”

Por Fernando Silveira