Reunião com interessados em acolher crianças

A Secretaria Municipal de Assistência Social e da Mulher de Assis Chateaubriand realizará, nesta sexta-feira (8), uma reunião com famílias que demostraram interesse em acolher temporariamente crianças e jovens ou em conhecer mais sobre o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora.

Lançado em novembro do ano passado, o serviço tem por objetivo oferecer possibilidade de convivência familiar e comunitária a crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de desproteção que, por ordem judicial, precisam ser afastados de suas famílias de origem.

Segundo a secretária de Assistência Social, Silvania Dioto, alguns cidadãos demonstraram interesse em participar desse projeto e praticar um gesto de amor a essas crianças em situação de vulnerabilidade social/familiar.

“Quando iniciamos a divulgação do Família Acolhedora, várias famílias se manifestaram favoráveis e até dispostas a fazer parte do mesmo. Por isso, fizemos contato com essas pessoas e marcamos uma reunião para o dia 8 de fevereiro. Queremos também convidar a todos que tenham interesse em conhecer mais sobre o Serviço de Acolhimento para que participem do encontro, na manhã desta sexta-feira”, comenta Silvania.

A reunião será às 8h, na Oficina do Ofício.

COMO FUNCIONA

O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora é público governamental ofertado pelo Município, através de uma equipe técnica específica da Secretaria de Assistência Social, formada por uma psicóloga e uma assistente social.

A família acolhedora precisa ser moradora de Assis Chateaubriand há mais de três anos, ter idade acima de 21 anos e condições sociais para prover as necessidades da criança, entre outras questões analisadas.

Cada família poderá acolher a criança ou o adolescente por um período máximo de dois anos. A partir de então, a Justiça decidirá se ela será reinserida à sua família de origem ou encaminhada para adoção.

Os interessados devem procurar a Secretaria de Assistência Social, onde é feito cadastro, avaliação e, se atendidos os critérios, seleção e capacitação para receberem as crianças em seus lares. Como incentivo, a família recebe uma bolsa auxílio de um salário mínimo.