Uma palavra que transforma vidas

Neste domingo, São Lucas apresenta dois episódios em um só: o chamado dos primeiros discípulos e a pesca milagrosa. O contexto é o lugar de trabalho dos pescadores no lago de Genesaré, onde lavavam suas redes. É um dia normal de semana. Jesus aproveita todas as ocasiões para o anúncio do Reino. Jesus é o primeiro a ver os barcos e os pescadores. Líder atento e hábil comunicador percebe à distância a nova possibilidade do anúncio: a barca de Simão.

A atitude com Simão dá a entender que há alguma familiaridade entre ele e Jesus, pois ele entra na sua barca e lhe pede que se afaste um pouco da terra. Ao sentar-se, Jesus deliberadamente, assume a atitude de Mestre, fazendo da barca de Simão o seu novo púlpito, de onde dirige a Palavra a quem o quer escutar.

Fala diretamente a Simão: “Vai mais para o fundo e joga as redes para pescar”. A resposta do pescador revela o cansaço e o desânimo da lida de toda a noite sem pescar nada. O texto reflete a realidade de muitas comunidades que, muitas vezes, lutam, se esforçam e o resultado parece pouco. Para um pescador experiente o que Jesus mandou fazer era descabido, mas porque era o Mestre que o dizia, obedeceram. Assim, percebemos que a força transformadora da Palavra não está só no seu conteúdo, mas naquele que a pronuncia: “na força da tua palavra lançarei as redes”. E acontece o milagre que não é uma realidade mágica, mas revela um sinal da presença de Deus e do seu poder capaz de curar/transformar os olhos do nosso interior, para olharmos a realidade com os seus olhos. Neste instante a fé se manifesta.

A pesca extraordinária, as redes se rompendo, os barcos quase afundando em pleno dia são sinais sensíveis que preparam o encontro decisivo com Jesus. O êxito da pesca depende só do Senhor Jesus: sem ele, é noite; não pescam nada… Com Ele é dia; há abundância, ânimo e força apesar de tudo.

Os dois nomes “Simão Pedro”, aqui aparecem juntos pela primeira vez. De fato, Jesus dará o nome de “Pedro” a Simão, depois, quando escolherá os doze discípulos. O encontro com Jesus transforma não só a realidade, mas também muda a pessoa toda! Já que mudar de nome na Bíblia, é mudar de vida totalmente.

Pedro reconhece que é um pecador e Jesus o acolhe na sua fragilidade para ser o chefe dos apóstolos e chefe da Igreja que Jesus quer fundar. As palavras de coragem dirigidas a Simão Pedro retiram-lhe o medo e conferem uma nova missão: “pescador de homens”.

“Deixaram tudo e seguiram Jesus”. Tornaram-se discípulos de Jesus e assumiram uma “nova” vida. Isto significa que o desapego total e o viver liberto e sem amarras é característico do discípulo de Jesus! Assim, ser cristão (ser discípulo) é seguir uma Pessoa: Jesus Cristo! Não uma ideia, uma filosofia de vida, mas a Pessoa de Jesus Cristo: fazer o que Ele fez e o que Ele mandou!

Senhor, a tua Palavra enche-nos de força e de alegria. Nós te pedirmos, Senhor, dá-nos a mesma coragem e confiança que depositaste no coração de Pedro para não desanimar e continuar a lançar as redes ao mar da vida e continuar a tua missão de anunciar o teu Reino. Faz de nós discípulos missionários capazes de viver livres para te seguir sempre!

 

Dom João Carlos Seneme, css

Bispo de Toledo